SINJ-DF
exec_dec_36621_2015

DECRETO Nº 36.621, DE 21 DE JULHO DE 2015.

Dispõe sobre as Regiões Integradas de Segurança Pública e as Áreas de Segurança Pública no Território do Distrito Federal, e dá outras providências.

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos IV, VII e X do Art. 100, da Lei Orgânica do Distrito Federal, DECRETA:

Art. 1º Ficam estabelecidas as Regiões Integradas de Segurança Pública – RISPs e as Áreas de Segurança Pública - AISPs, na forma dos anexos I, II, III e IV deste Decreto.

I - A Região Integrada de Segurança Pública - RISP consiste na divisão geográfica do território do Distrito Federal para fins de segurança pública que permite a articulação e integração regional, no nível tático e operacional, das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar e o Departamento de Trânsito, entre si e com os demais atores internos e externos que possuam interfaces com o tema.

II - A Área Integrada de Segurança Pública - AISP consiste na divisão geográfica de uma RISP, e se caracteriza por um espaço geográfico comum, urbano ou rural, destinado à articulação e à integração, no nível operacional, das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar e o Departamento de Trânsito para o desenvolvimento de procedimentos, ações e operações específicas e integradas, isoladas ou em conjunto.

III - A Circunscrição Integrada de Segurança Pública – CISP consiste no menor espaço geográfico comum, urbano ou rural, empregada para a solução de um problema específico, e delimitado para o planejamento e a execução de programas, projetos, ações ou operações de segurança pública integradas, isoladas ou em conjunto.

§ 1º Os limites geográficos sob atuação dos órgãos de que tratam os incisos I e II serão comuns, podendo ou não coincidir com as poligonais das Regiões Administrativas atuais ou que venham a ser criadas no Distrito Federal.

§ 2º Os órgãos referidos nos incisos I e II poderão desdobrar suas unidades operacionais de acordo com os seus planos de articulação, observados os limites das RISPs e AISPs.

§ 3º O Corpo de Bombeiros Militar e o Departamento de Trânsito do Distrito Federal deverão atuar segundo o disposto no inciso I e, na medida de sua especificidade e capacidade operacional, conforme o disposto no inciso II.

§ 4º As eventuais alterações que impliquem revisão de limites territoriais definidos nos anexos deste Decreto poderão ser propostas pela instituição interessada ou pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social, e serão objeto de deliberação conjunta.

Art. 2º Os órgãos referidos nos incisos I e II do artigo anterior, observadas as competências de cada um, poderão atender e registrar ocorrências policiais, de trânsito, de busca e salvamento e de incêndio e pânico em Área Integrada de Segurança Pública diversa da que pertençam, cabendo- -lhes a adoção das providências preliminares e o imediato encaminhamento ou acionamento do órgão competente.

Art. 3º Caberá à Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social a elaboração e o fornecimento dos mapas das RISPs e AISPs constantes dos anexos deste Decreto, bem como a definição das metas de desempenho e de redução da criminalidade e indicadores para a mensuração dos resultados.

Art. 4º Em até 15 (quinze) dias da publicação deste Decreto, ato do Secretário de Estado da Segurança Pública e da Paz Social, em conjunto com as instituições de segurança pública, definirá a responsabilidade de atuação no âmbito das RISPs, AISPs e CISPs.

Art. 5º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 6º Revogam-se as disposições em contrário, em especial os Decretos nºs 23.018, de 11 de junho de 2002, 22.844, de 4 de abril de 2002, e os arts. 1º a 5º do Decreto nº 33.882, de 29 de agosto de 2012.

Brasília, 21 de julho de 2015.

127º da República e 56º de Brasília

RODRIGO ROLLEMBERG

ANEXO III

PLANO DE ARTICULAÇÃO

SEGURANÇA PÚBLICA DO DISTRITO FEDERAL

REGIÕES INTEGRADAS DE SEGURANÇA PÚBLICA - RISPs

RISP METROPOLITANA

RISP METROPOLITANA - AISP Brasília; Cruzeiro, Sudoeste e Octogonal; Estrutural, SCIA e SIA; Guará e Lago Sul.

Partindo da extremidade sul da barragem do Paranoá, no ponto de coordenadas UTM E=201.548,59 e N=8.250.958,89, segue-se na direção sudoeste, em linha reta, até o ponto de coordenadas UTM E= 201.454,22 e N=8.250.499,76; daí; segue-se na direção sudoeste, em linha reta, até a margem da rodovia DF-001/EPCT, no ponto de coordenadas UTM E= 200.852,72 e N=8.249.310,52; daí, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até atingir o viaduto sobre a linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântica S.A FCA (antiga RFFSA); daí, segue à direita por esta linha férrea, exclusive, até atingir o ribeirão do Gama; daí, segue ribeirão abaixo, exclusive o espelho d’água, até a confluência do córrego do Cedro; daí, córrego acima, exclusive o espelho d’água, até encontrar a cerca limite da Área do Aeroporto de Brasília, no ponto de coordenadas UTM E=185.162,91 e N=8.240.403,12; daí, à direita, segue pela cerca, inclusive, contornando o limite posterior da Quadra 14 do Setor de Mansões Park Way (SMPW) até atingir o ponto de coordenadas UTM E=185.283,29 e N=8.243.128,88; daí, segue à esquerda, na direção noroeste, acompanhando o limite do conjunto 01 da Quadra 14 do SMPW e depois acompanhando uma pista asfaltada, inclusive, até atingir o ponto de coordenadas UTM E=184.968,80 e N=8.243.788,77, situado na margem da rodovia DF-025/EPDB; daí à direita, por esta rodovia, inclusive, até o cruzamento com a rodovia DF-047/EPAR (balão do Aeroporto), inclusive; daí à esquerda, segue pela rodovia DF-047/EPAR, inclusive, até o viaduto da rodovia DF-051/EPGU (viaduto Camargo Corrêa), inclusive o viaduto e suas ligações; daí, à esquerda, pela rodovia DF-051/ EPGU, até o viaduto da rodovia DF-003/EPIA, exclusive a rodovia, viaduto e suas ligações; daí, pela rodovia DF-003/ EPIA, exclusive, até a pista de acesso ao viaduto da Candangolândia; daí, por esta pista, inclusive, até o Setor de Postos e Motéis Sul (SPMS); daí, contornado o limite posterior do SPMS até encontrar a pista de ligação da DF-003/EPIA com rodovia DF-075/EPNB; por esta, exclusive, até encontrar a rodovia DF-075/EPNB e por esta, exclusive, até a ponte sobre o córrego Vicente Pires; daí, pelo córrego Vicente Pires acima, exclusive espelho d’água, até a rodovia DF-085/ EPTG; daí, à direita pela DF-085/EPTG, exclusive, até o viaduto desta com o cruzamento da rodovia DF-087/EPVL; exclusive o viaduto e suas ligações; daí, pela rodovia DF-087/EPVL, exclusive, até o viaduto desta com a rodovia DF-095/EPCL, inclusive o viaduto e suas ligações; daí, à esquerda, pela rodovia DF-095/EPCL até a ponte sobre o córrego do Valo, inclusive; daí, à direita, córrego acima, inclusive espelho d´água até a sua nascente; daí, na direção norte até atingir a rodovia DF-097/EPAC, no ponto de coordenadas UTM E=177.994,59 e N=8.255.893,78; daí, à esquerda, pela rodovia DF-097/EPAC, exclusive, até o entroncamento com a DF-001/EPCT; daí, à direita, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até o entroncamento da BR-080/DF-240, no ponto de coordenadas UTM E=170.434,07 e N=8.257.903,02; daí, segue na direção noroeste até encontrar a cerca limítrofe do Parque Nacional de Brasília (PNB) no ponto de coordenadas UTM E=170.394,04 e N=8.257.957,57; daí, à esquerda, segue pela cerca contornado o PNB até o ponto de coordenadas UTM E=192.817,18 e N=8.263.976,68; daí, à esquerda, na direção nordeste, até a margem da DF-001/EPCT, em ponto situado em frente à pista de acesso ao condomínio rural Mansões Colorado; daí, à direita, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até a intercessão com a rodovias BR-020 e DF-003/EPIA (balão do Colorado), exclusive esta e suas ligações; daí, à direta, pela rodovia DF-003/EPIA, passando pelo viaduto do Torto, exclusive a rodovia, o viaduto e suas ligações, até a ponte sobre o ribeirão Bananal; daí, à esquerda, ribeirão abaixo, inclusive o espelho d’água, até o ponto de lançamento de suas águas no Lago Paranoá; daí, segue na direção sudeste, considerando-se a metade do espelho d´água do lago Paranoá, até a extremidade sul da barragem do Paranoá, ponto inicial desta descrição.

RISP LESTE

RISP LESTE - AISP lago Norte e Varjão; Paranoá e Itapoã e Jardim Botânico (todos os condomínios ao norte do ribeirão Taboca e Quadra 03 a partir do conjunto 18 do Condomínio Solar de Brasília); Planaltina; São Sebastião e Jardim Botânico (todos os condomínios a leste da DF 140 e ao sul do ribeirão Taboca, sendo o Condomínio Solar de Brasília Quadra 03 até o conjunto 16) e Sobradinho, Sobradinho II e Fercal.

Partindo da extremidade sul da barragem do Paranoá, no ponto de coordenadas UTM E=201.548,59 e N=8.250.958,89, segue pelo lago Paranoá, na direção noroeste, considerando- -se a metade do espelho do lago, até o ponto de lançamento das águas do ribeirão Bananal; daí, pelo ribeirão Bananal acima, exclusive o espelho d´água, até a ponte na rodovia DF-003/EPIA; daí, à direita, segue pela rodovia, passando pelo viaduto do Torto, inclusive a rodovia o viaduto e suas ligações, até a intercessão com as rodovias BR-020 e DF-001/EPCT (Balão do Colorado), inclusive esta e suas ligações; daí, à esquerda, pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até a pista de acesso ao condomínio rural Mansões Colorado; dai, à esquerda, na direção sudoeste, até o ponto de coordenadas UTM E=192.817,18 e N=8.263.976,68, situado na cerca limítrofe do Parque Nacional de Brasília (PNB); daí, à direita, seguindo pela cerca do PNB, até o ponto de coordenadas UTM E=176.657,85 e N=8.274.685,58; daí, à direita, na direção noroeste, até o entroncamento da DF-170 na DF-001/EPCT; daí, segue pela DF-170, exclusive, na direção norte, até o paralelo 15º30’00”S, limite norte do Distrito Federal, daí, seguindo por este limite, em direção leste, até o meridiano 47º25’00”WGr, limite leste do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, à direita, segue por este limite, em direção sul, até encontrar o ribeirão Santa Rita; daí, à esquerda, ribeirão abaixo, considerando-se a metade do espelho d´água, até sua confluência com o rio Preto; daí, rio abaixo, considerando a metade do espelho d´água do rio e do lago de sua barragem, até o limite do Distrito Federal com o Estado de Minas Gerais, no paralelo 16º03’00” S; daí, à direita, segue na direção oeste pelo dito paralelo, até a rodovia DF-140; daí, à direta, segue pela rodovia DF-140, inclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-001/EPCT; daí; à direita, segue pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=200.852,72 e N=8.249.310,52; daí, segue na direção nordeste, em linha reta, até o ponto de coordenadas UTM E=201.454,22 e N=8.250.499,76; daí, segue na direção nordeste, em linha reta, até a extremidade sul da barragem do Paranoá, ponto inicial desta descrição.

RISP OESTE

RISP OESTE - AISP Águas Claras, Vicente Pires e Park Way (Quadras 4 e 5); Brazlândia; Ceilândia; Samambaia e Taguatinga.

Partindo da interseção da rodovia DF-170, com a linha de limite norte do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo 15°30’00”S (km “0” da DF-170), segue por referida rodovia, inclusive, em direção sul, até o entroncamento com a rodovia DF-001/EPCT; daí, segue na direção sudeste até o ponto de coordenadas UTM E=176.657,85 e N=8.274.685,58, situado na cerca do Parque Nacional de Brasília (PNB); daí, à direita, segue pela cerca do PNB até o ponto de coordenadas UTM E=170.394,04 e N=8.257.957,57; daí, segue na direção sudeste até encontrar o entroncamento da rodovia BR-080/DF-240 na rodovia DF-001/EPCT; no ponto de coordenadas UTM E=170.434,07 e N=8.257.903,02; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-001/ EPCT, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-097/EPAC; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-097, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=177.994,59 e N=8.255.893,78; daí, segue na direção sul até atingir a nascente do córrego do Valo; daí, córrego abaixo, exclusive o espelho d´água, até atingir a ponte sobre esse córrego na DF-095/EPCL, exclusive essa; daí, segue pela rodovia DF-095/EPCL, exclusive, até o viaduto desta com a rodovia DF-087/ EPVL; exclusive o viaduto e suas ligações; daí, à direita, pela rodovia DF-087/EPVL, inclusive, até atingir o viaduto com a rodovia DF-085/EPTG, inclusive; daí; à direita, pela rodovia DF- 085/EPTG, inclusive, até a ponte sobre o córrego Vicente Pires; daí, córrego abaixo, inclusive espelho d´agua, até encontrar a linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântico S.A. (FCA); daí à esquerda, pela linha férrea, exclusive, até atingir o ponto de coordenadas UTM E=180.708,63 e N=8.244.120,52; daí, segue na direção sudoeste em linha reta até o ponto de coordenadas UTM E=180.472,52 e N=8.243.838,97; daí, segue na direção sudoeste em linha reta e acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 06 da quadra 03 do Setor de Mansões Park Way (SMPW) até atingir o ponto de coordenadas UTM E= 179.549,14 e N=8.243.573,67, situado no canto posterior do lote 01 do referido conjunto; daí; à esquerda, segue na direção sudeste até ponto de coordenadas UTM E=179.611,50 e N=8.243.358,10 onde encontra a rodovia DF-079/EPVP; daí, à direita, acompanhando a rodovia DF-079/EPVP, exclusive, segue até o ponto de coordenadas UTM E=179.578,79 e N=8.243.329,19; daí, segue na direção sudoeste até o ponto de coordenadas UTM E=179.347,69 e N=8.243.262,84, situado no canto posterior do lote 08 do conjunto 02 da quadra 03 do SMPW; daí , à esquerda, segue na direção sudeste, acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 02 da quadra 03 do SMPW e a pista de acesso aos conjuntos 01 e 02 da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE), inclusive, até a rodovia DF-075/EPNB; daí; à direita segue pela rodovia DF-075/EPNB, exclusive, até o viaduto de acesso do Pistão Sul, onde encontra a rodovia DF-001/EPCT; daí, segue na direção oeste, pela rodovia DF-001/ EPCT, exclusive, até o acesso da 1ª Avenida Sul de Samambaia; daí, continua pela rodovia DF- 001/EPCT, inclusive, até o viaduto onde inicia a rodovia BR-060, inclusive este e suas ligações; daí segue pela rodovia BR-060, inclusive a rodovia, seus viadutos e acessos, até o viaduto no entroncamento da rodovia DF-280; daí, à direita, pela rodovia DF-280, exclusive, até a passagem sobre o córrego Bananal; daí, córrego abaixo, exclusive espelho d´água, até sua desembocadura no córrego Samambaia; daí, córrego abaixo, exclusive espelho d´água, até sua passagem sob a rodovia DF-280; daí, à direita, pela rodovia DF-280, exclusive a rodovia e seus acessos, até a ponte sobre o rio Descoberto, limite oeste do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, rio acima, considerando a metade do espelho d´água do rio, até a rodovia BR-070; daí, cruzando- -a segue até a barragem do rio Descoberto; daí, considerando-se a metade do espelho d´agua; segue-se pelo braço norte da represa até o ponto de lançamento das águas do rio Descoberto; daí, rio acima, considerando a metade do espelho d´água, até a interseção com a linha de limite oeste do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no meridiano 48°12’00’’WGr; daí, segue em direção norte, por este limite, até a interseção com a linha de limite norte do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo l5°30’00” S; daí, segue em direção leste , pelo dito paralelo, até a interseção da rodovia DF-170, ponto inicial desta descrição.

RISP SUL

RISP SUL - AISP Gama; Park Way (Quadras 1,3, 6-29, EQ 1/4), Núcleo Bandeirante e Candangolândia; Recanto das Emas; Riacho Fundo I e II, e Santa Maria e Jardim Botânico (todos os Condomínios a oeste da DF 140)

Partindo do entroncamento da DF-140 na DF-001/EPCT segue-se na direção sul pela rodovia DF-140, exclusive, até o balão com a rodovia BR-251; daí, excluindo o balão e suas ligações, prossegue pela rodovia DF-140, exclusive, até o limite sul do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo 16º03’00”S; daí, à direita na direção oeste, pelo paralelo, até encontrar o rio Descoberto; daí, rio acima, considerando a metade do espelho d´água, até a ponte onde inicia a rodovia DF-280; daí, à direita, pela rodovia DF-280, inclusive a rodovia e seus acessos, até o córrego Samambaia, daí, córrego acima, inclusive espelho d´água, até a desembocadura do córrego Bananal; daí, córrego Bananal acima, inclusive espelho d´água, até cruzar com a rodovia DF-280; daí, à esquerda, pela rodovia DF-280, exclusive, até o viaduto na rodovia BR-060; daí à esquerda, pela rodovia BR-060, exclusive a rodovia, seus viadutos e acessos, até o viaduto com a DF-001/EPCT; daí, na direção nordeste, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive a rodovia, o viaduto e seus acessos, até o acesso da 1ª Avenida Sul de Samambaia; daí, pela rodovia DF- 001/EPCT, inclusive, até o viaduto de acesso ao Pistão Sul, onde encontra a rodovia DF-075/ EPNB; daí, pela rodovia DF-075/EPNB, inclusive, até a pista de acesso aos conjuntos 01 e 02 da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE); daí, segue à esquerda, pela pista, exclusive, acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 02 da Quadra 03 do SMPW, até atingir o ponto de coordenadas UTM E=179.347,69 e N=8.243.262,84, situado no canto posterior do lote 08 do conjunto 02 da quadra 03 do SMPW; daí, pela direita, no sentido nordeste até o ponto de coordenadas UTM E= 179.578,79 e N=8.243.329,19, onde encontra a rodovia DF-079/ EPVP; daí, segue à esquerda, acompanhando a rodovia DF-079/EPVP, inclusive, até o ponto de coordenadas E=179.611,50 e N=8.243.358,10; daí, segue à esquerda, na direção noroeste até o ponto de coordenadas UTM E=179.549,14 e N=8.243.573,67, situado no canto posterior do lote 01 do conjunto 06 da quadra 03 do SMPW; daí, à direita, na direção nordeste, acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 06 da quadra 03 do SMPW, até o ponto de coordenadas UTM E= 180.472,52 e N=8.243.838,97, daí, segue `na direção nordeste até encontrar linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântico SA, FCA, no ponto de coordenadas UTM E=180.708,63 e N=8.244.120,52; daí, segue à esquerda, pela linha férrea, inclusive, até encontrar o córrego Vicente Pires; daí, córrego Vicente Pires abaixo, inclusive o espelho d’água, até a rodovia DF- 075/EPNB; daí, à esquerda pela rodovia DF-075/EPNB, inclusive, segue acompanhando a alça de ligação da rodovia DF-003/EPIA, inclusive, até o Setor de Posto e Motéis Sul (SPMS);daí segue à esquerda, contornando o limite posterior do SPMS até a pista de acesso ao viaduto da Candangolândia; daí pela pista, inclusive, até encontrar a rodovia DF-003/EPIA; daí; segue por referida rodovia, inclusive, até o viaduto do cruzamento desta com a rodovia DF-051/EPGU, exclusive o viaduto e suas ligações; daí; segue pela rodovia DF-051/EPGU, inclusive, até o viaduto desta com o cruzamento da rodovia DF-047/EPAR, exclusive o viaduto e suas ligações; daí, pela rodovia DF-047/EPAR, exclusive, na direção sudoeste, até atingir o o cruzamento com a rodovia DF-025/EPDB (balão do Aeroporto), exclusive; daí, à direita, segue pela rodovia DF- 025/EPDB, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=184.968,80 e N=8.243.788,77; daí, segue à esquerda, na direção sudeste, acompanhando uma pista asfaltada, exclusive, e depois acompanhando o limite do conjunto 01 da Quadra 14 do Setor de Mansões Park Way (SMPW), até atingir o ponto de coordenadas UTM E=185.283,29 e N=8.243.128,88 situado na cerca limite da área do Aeroporto de Brasília; daí, segue à direita, acompanhando acerca do Aeroporto de Brasília, exclusive, e contornando o limite posterior da Quadra 14 do SMPW até atingir o córrego do Cedro, no ponto de coordenadas UTM E=185.162,91 e N=8.240.403,12; daí, segue córrego abaixo, inclusive o espelho d’água, até sua confluência com o ribeirão do Gama; daí, segue ribeirão acima, inclusive o espelho d’água, até a ponte da linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântico S.A. (FCA), daí, segue à esquerda por esta linha férrea, inclusive, até o viaduto da rodovia DF-001/ EPCT; daí, segue à esquerda, pela referida rodovia, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-140, ponto inicial desta descrição.

ANEXO IV

PLANO DE ARTICULAÇÃO

SEGURANÇA PÚBLICA DO DISTRITO FEDERAL

ÁREAS INTEGRADAS DE SEGURANÇA PÚBLICA - AISPs

AISP BRASILIA

RISP METROPOLITANA - AISP BRASILIA – Asa Sul; Asa Norte e Zona Central

Partindo da ponte na rodovia DF-001/EPCT sobre o rio Bananal, segue-se rio abaixo, inclusive o espelho d’água, até o ponto de lançamento de suas águas no Lago Paranoá; daí, segue pelo braço do Bananal, considerando a metade do espelho d’água do Lago Paranoá, até o ponto de coordenadas UTM: E=198.642,00 e N=8.252.391,00; daí, à, direita, segue na direção sudoeste, considerando a metade do espelho d´água do Lago Paranoá e excluindo as pontes Costa e Silva, Presidente Médici e JK, até atingir o ponto de lançamento das águas do Riacho Fundo no Lago Paranoá; daí, riacho acima, inclusive o espelho d’água, até a ponte na rodovia DF-047/EPAR; daí, à direita, inclusive a ponte, segue pela segue pela rodovia DF-047/EPAR, inclusive, até o viaduto da rodovia DF-051/EPGU (viaduto Camargo Corrêa), inclusive a rodovia, viaduto e suas ligações; daí, à esquerda, pela rodovia DF-051/EPGU, até o viaduto da rodovia DF-003/EPIA, exclusive a rodovia, viaduto e suas ligações; daí, à direita, pela rodovia DF-003/EPIA, exclusive, até o viaduto das rodovias DF-085/EPTG e DF-011/EPIG, exclusive o viaduto e suas ligações; daí, à direita, pela DF-011/EPIG, exclusive, até o limite com a Quadra 3 do SIG; no entroncamento da via IG-1; daí, à direita, segue pela via IG-1, exclusive, contornando as Quadras 3 e 1, até seu entroncamento com DF-011-EPIG, agora entre a Quadra 1 do SIG e o Anexo I do TJDFT; daí, à direita, segue pela DF-011/EPIG, exclusive, até atingir a Via S-1; daí à esquerda, segue pela via S-1, exclusive, até atingir a margem oeste da DF-001/EPIG, junto à Praça Municipal, sede da Câmara Legislativa do Distrito Federal; daí, à esquerda, segue pela via EPIG, exclusive, até a via IG-2, que separa a Praça Municipal do SIG; daí, à esquerda, pela via IG-2, exclusive, segue até a 1ª Avenida do Sudoeste; daí, à direita, segue pela 1ª Avenida Sudoeste, exclusive, até a Via S-1; daí, à esquerda, segue pela via S-1, inclusive, até a via que passa em frente à Praça do Cruzeiro; daí, à direita, segue pela citada via, inclusive, até a via N-1; daí, à direita, segue pela via N-1, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=187.628,05 e N=8.252.954,70; daí< à esquerda, segue pelo limite entre o Setor de Garagens Oficiais (SGO) e o Setor Militar Urbano (SMU), ,até atingir a rodovia DF-010/EPAA, no ponto de coordenadas UTM E=187.851,42 e N=8.254.581,94; daí, à esquerda, segue pela DF-010/EPAA, inclusive, até atingir o viaduto na rodovia DF-003/EPIA, exclusive o viaduto, suas ligações e as alças de acesso; daí, à esquerda, segue pela DF-003/EPIA, exclusive, até o entroncamento da via AA3, que dá acesso ao Setor de Armazenagem e Abastecimento (SAA); daí, à direita, segue pela via AA3, exclusive a via e seus acessos, até ponto de coordenadas UTM E= 185.011,50 e N=8.254.359,52, daí, segue na direção noroeste até o ponto de coordenadas UTM E=184.908,24 e N=8.254.392,65, situado no limite da área do Parque Ferroviário de Brasília (PFB), daí, na direção nordeste, acompanhando o limite do PFB, até o ponto de coordenadas UTM E=185.345,18 e N=8.255.789,85; daí, na direção sudoeste, acompanhando o limite do PFB em trecho delimitado por cerca, até o ponto de coordenadas UTM E=184.355,97 e N=8.255.453,91, onde o PFB confronta com a área do Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG); daí, na direção sudoeste, segue pela cerca no limite entre o PFB e o RCG até o ponto de coordenadas UTM E=182.213,30 e N=8.251.615,26; daí, na direção noroeste, segue pela cerca que delimita o RCG até seu vértice, no ponto de coordenadas UTM E=181.062,84 e N=8.252.876,42; daí, segue na direção sudoeste até o ponto de coordenadas UTM E=180.896,39 e N=8.252.828,61, situado na rodovia DF-097/EPAC; daí, à direita, segue pela rodovia DF-097/EPAC, exclusive, até o entroncamento com a DF-001/EPCT; daí, à direita, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até o entroncamento da BR-080/DF-240, no ponto de coordenadas UTM E=170.434,07 e N=8.257.903,02; daí, segue na direção noroeste até encontrar a cerca limítrofe do Parque Nacional de Brasília (PNB) no ponto de coordenadas UTM E=170.426,13 e N=8.257.940,98; daí, à esquerda, segue pela cerca contornado o PNB até o ponto de coordenadas UTM E=192.817,18 e N=8.263.976,68; daí, à esquerda, na direção nordeste, até a margem da DF-001/EPCT, em ponto situado em frente à pista de acesso ao condomínio rural Mansões Colorado; daí, à direita, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até a intercessão com as rodovias BR-020 e DF-003/EPIA (Balão do Colorado), exclusive esta e suas ligações; daí, à direta, pela rodovia DF-003/EPIA, passando pelo viaduto do Torto, exclusive a rodovia, o viaduto e suas ligações, até a ponte sobre o ribeirão Bananal, ponto inicial desta descrição.

AISP CRUZEIRO, SUDOESTE E OCTOGONAL

RISP METROPOLITANA - AISP CRUZEIRO, SUDOESTE E OCTOGONAL

Partindo da margem leste do entroncamento da rodovia DF-011/EPIG na via S-1 – Eixo Monumental, segue na direção sudoeste pela DF-011/EPIG, inclusive, até o entroncamento da via IG-1, onde via IG-1 separa o Anexo I do TJDFT da Quadra 1 do Setor de Industrias Gráficas - SIG; daí, à esquerda, segue pela via IG-1, inclusive, contornando as Quadras 1 e 3 do SIG; até seu entroncamento na DF-011/EPIG, no final da Quadra 3 do SIG; daí, à esquerda, segue pela DF-011/EPIG, inclusive a via e seus acessos, até viaduto com a rodovia DF-003/EPIA, inclusive este, suas ligações e alças de acesso; daí, à direita, segue pela DF-003/EPIA, inclusive, até o viaduto Ayrton Senna, na ligação com a DF-095/EPCL, inclusive o viaduto e suas ligações; daí, à esquerda, segue pela DF-095/EPCL inclusive, até o viaduto sobre a pista de acesso ao SCIA e sobre um ramal ferroviário; daí, à direita, segue pelo ramal ferroviário, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=182.214,20 e N=8.251.579,91, no limite da área do Parque Ferroviário de Brasília (PFB); daí, segue pelo limite do PFB até o ponto de coordenadas UTM E=182.213,30 e N=8.251.615,26, onde o PFB confronta com a área do Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG); daí, segue pela cerca limite entre o PFB e o RCG até o ponto de coordenadas UTM E=184.355,97 e N=8.255.453,91; daí segue na direção nordeste pela cerca do PFB até o ponto de coordenadas UTM E=185.345,18 e N=8.255.789,85; daí , na direção sudoeste, segue pelo limite do PFB, confrontando com o Setor de Armazenagem e Abastecimento (SAA); até o ponto de coordenadas UTM E=184.908,24 e N=8.254.392,65; daí, segue na direção sudeste até o ponto de coordenadas UTM E=185.011,50 e N=8.254.359,51, situado na margem da via AA3; daí, segue na direção sudeste pela via AA3, exclusive, até seu entroncamento na rodovia DF-003/ EPIA; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-003/EPIA, inclusive, até o viaduto com a rodovia DF-011/EPAA, inclusive o viaduto, suas ligações e as alças de acesso; dai, à direita ; segue pela DF-001/EPAA, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=187.851,42 e N=8.254.581,94; daí à direita, segue pelo limite entre o Setor de Garagens Oficiais (SGO) e o Setor Militar Urbano (SMU), até atingir a via N-1 no ponto de coordenadas UTM E=187.628,05 e N=8.252.954,70; daí, à direita, pela via N-1, exclusive, até a via que passa em frente à Praça do Cruzeiro; daí, à esquerda, pela citada via , exclusive, até atingir a via S-1; daí, à esquerda, segue pela via S-1 até o entroncamento da 1ª Avenida do Sudoeste; daí, à direita, segue pela 1ª Avenida do Sudoeste, inclusive, até a via IG-2, que separa a Praça Municipal do SIG; daí; à esquerda, segue pela via IG-2, inclusive, até a DF-011/EPIG; daí, à esquerda, segue pela DF-011/EPIG, inclusive, até o entroncamento na via S-1; daí, à direita, segue pela via S-1 até a margem leste do entroncamento da DF-011/EPIG, ponto inicial desta descrição.

AISP ESTRUTURAL, SCIA E SIA

RISP METROPOLITANA – AISP ESTRUTURAL SCIA E SIA

Partindo do viaduto no cruzamento da rodovia DF-003/EPIA com as rodovias DF-085/EPTG e DF-011-EPIG (viaduto do SIA), segue pela rodovia DF-003/EPIA, exclusive o viaduto e a rodovia, até o viaduto Ayrton Senna, na ligação com a DF-095/EPCL, exclusive o viaduto e suas ligações; daí, à esquerda, segue pela DF-095/EPCL, exclusive, até o viaduto sobre a pista de acesso ao SCIA e sobre um ramal ferroviário; daí, à direita, segue pelo ramal ferroviário, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=182.214,20 e N=8.251.579,91, no limite da área do Parque Ferroviário de Brasília (PFB); daí, segue pelo limite do PFB até o ponto de coordenadas UTM E=182.213,30 e N=8.251.615,26, onde o PFB confronta com a área do Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG); daí, na direção noroeste, segue pela cerca que delimita o RCG até seu vértice, no ponto de coordenadas UTM E=181.062,84 e N=8.252.876,42; daí, segue na direção sudoeste até o ponto de coordenadas UTM E=180.896,39 e N=8.252.828,61, situado na rodovia DF-097/EPAC; daí, à direita, segue pela rodovia DF-097/EPAC, inclusive até o ponto de coordenadas UTM E=177.994,59 e N=8.255.893,78; daí, na direção sul até atingir a nascente do córrego do Valo; daí, córrego abaixo, inclusive o espelho d´água, até atingir a ponte sobre esse córrego na DF-095/EPCL, inclusive essa; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-095/EPCL, inclusive, até o ponto de UTM E=179.645,49 e N=8.252.307,64; daí; à direita, segue em linha reta até o ponto de coordenadas UTM E=179.617,51 e N=8.251.988,29, situado na margem da via TRC-6, daí, na direção sudoeste, segue pela via TRC-6, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=179.428,32 e N=8.250.338,52; daí, segue na direção sudeste até a nascente do córrego do Guará, no ponto de coordenadas UTM E=180.661,03 e N=8.250.278,74; daí, córrego abaixo, exclusive o espelho d’água, até alcançar a rodovia DF-051/EPGU; daí, à esquerda, segue por esta rodovia, exclusive, até alcançar o viaduto sobre a rodovia DF-003/EPIA (Viaduto Camargo Correa), exclusive este e suas ligações; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-003/EPIA, inclusive, até o viaduto do SIA, ponto inicial desta descrição.

AISP GUARÁ

RISP METROPOLITANA – AISP GUARÁ

Partindo do viaduto da rodovia DF-095/EPCL sobre a rodovia DF-087/EPVL, exclusive, segue na direção nordeste pela rodovia DF-095/EPCL, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=179.645,49 e N=8.252.307,64; daí; à direita, segue em linha reta até o ponto de coordenadas UTM E=179.617,51 e N=8.251.988,29, situado na margem da via TRC-6, daí, na direção sudoeste, segue pela via TRC-6, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=179.428,32 e N=8.250.338,52; daí, segue na direção sudeste até a nascente do córrego do Guará, no ponto de coordenadas UTM E=180.661,03 e N=8.250.278,74; daí, córrego abaixo, inclusive o espelho d’água, até alcançar a rodovia DF-051/EPGU; daí, segue por esta rodovia, inclusive, até alcan- çar o viaduto sobre a rodovia DF-003/EPIA (Viaduto Camargo Correa), inclusive este e suas ligações; daí, à direita, pela rodovia DF-003/EPIA, exclusive, até a pista de acesso ao viaduto da Candangolândia; daí, por esta pista, inclusive, até o Setor de Postos e Motéis Sul (SPMS); daí, contornado o limite posterior do SPMS até encontrar a pista de ligação da DF-003/EPIA com rodovia DF-075/EPNB; por esta, exclusive, até encontrar a rodovia DF-075/EPNB e por esta, exclusive, até a ponte sobre o córrego Vicente Pires; daí, pelo córrego Vicente Pires acima, exclusive espelho d’água, até a rodovia DF-085/EPTG; daí, à direita pela DF-085/EPTG, exclusive, até o viaduto desta com o cruzamento da rodovia DF-087/EPVL; exclusive o viaduto e suas ligações; daí, pela rodovia DF-087/EPVL, exclusive, até o viaduto desta com a rodovia DF-095/EPCL, ponto inicial desta descrição.

AISP LAGO SUL

RISP METROPOLITANA – AISP LAGO SUL

Partindo da extremidade sul da barragem do Paranoá, no ponto de coordenadas UTM E=201.548,59 e N=8.250.958,89, segue-se na direção sudoeste, em linha reta, até o ponto de coordenadas UTM E= 201.454,22 e N=8.250.499,76; daí; segue-se na direção sudoeste, em linha reta, até a margem da rodovia DF-001/EPCT, no ponto de coordenadas UTM E= 200.852,72 e N=8.249.310,52; daí, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até atingir o viaduto sobre a linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântica S.A FCA (antiga RFFSA); daí, segue à direita por esta linha férrea, exclusive, até atingir o ribeirão do Gama; daí, segue ribeirão abaixo, exclusive o espelho d’água, até a confluência do córrego do Cedro; daí, córrego acima, exclusive o espelho d’água, até encontrar a cerca limite da Área do Aeroporto de Brasília, no ponto de coordenadas UTM E=185.162,91 e N=8.240.403,12; daí, à direita, segue pela cerca, inclusive, contornando o limite posterior da Quadra 14 do Setor de Mansões Park Way (SMPW) até atingir o ponto de coordenadas UTM E=185.283,29 e N=8.243.128,88; daí, segue à esquerda, na direção noroeste, acompanhando o limite do conjunto 01 da Quadra 14 do SMPW e depois acompanhando uma pista asfaltada, inclusive, até atingir o ponto de coordenadas UTM E=184.968,80 e N=8.243.788,77, situado na margem da rodovia DF-025/EPDB; daí à direita, por esta rodovia, inclusive, até o cruzamento com rodovia DF-047/EPAR (balão do Aeroporto), inclusive; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-047/EPAR, inclusive, até a ponte sobre o riacho Fundo, exclusive; daí, riacho abaixo, exclusive o espelho d’água, até o ponto de lançamento de suas águas no Lago do Paranoá; daí, segue, pelo lago Paranoá na direção nordeste, considerando a metade do espelho d´água e incluindo a extensão total das pontes Presidente Médici, Presidente Costa e Silva e JK, até o ponto UTM: E=198.642,00 e N=8.252.391,00; daí, segue na direção sudeste, ainda considerando a metade do espelho d´água, até a extremidade sul da barragem do Paranoá, ponto inicial desta descrição.

AISP LAGO NORTE E VARJÃO

RISP LESTE – AISP LAGO NORTE E VARJÃO

Partindo do ponto de lançamento das águas do ribeirão Bananal no Lago do Paranoá, segue ribeirão acima, exclusive o espelho d´água, até a ponte da rodovia DF-003/EPIA; daí, à direita, segue pela rodovia DF-003/EPIA, exclusive, até o viaduto do Torto e suas ligações, incluindo-os; daí, continuando pela rodovia DF-003/EPIA, inclusive, até a intercessão com as rodovias BR-020 e DF-001/EPCT (Balão Colorado), inclusive esta e suas ligações, daí, à direita, pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até o entroncamento da rodovia VC-263; exclusive, daí, segue na direção sudoeste até a nascente do córrego Taquari, no ponto de coordenadas UTM E=200.850,95 e N=8.259.040,32; daí córrego abaixo, inclusive o espelho d´água, até sua confluência com o córrego Capoeira do Bálsamo, que passa a se chamar córrego Tamanduá; daí, córrego Tamanduá abaixo, inclusive o espelho d´água, até o ponto de lançamento de suas águas no lago Paranoá; daí, segue pelo lago Paranoá na direção sul e sudeste, considerando a metade do espelho d´água; até atingir o ponto de coordenadas UTM E=197.583,12, e N=8.253320,88; daí, segue na dire- ção noroeste considerando ainda a metade do espelho d’água do Lago do Paranoá, até atingir o ponto de lançamento das águas do ribeirão Bananal no Lago do Paranoá, início desta descrição.

AISP PARANOÁ, ITAPOÃ E JARDIM BOTÂNICO

RISP LESTE – AISP PARANOÁ, ITAPOÃ E JARDIM BOTÂNICO (todos os condomínios ao norte do ribeirão Taboca e Quadra 03 a partir do conjunto 18 do Condomínio Solar de Brasília)

Partindo da extremidade sul da barragem do Paranoá, no ponto de coordenadas UTM E=201.548,59 e N=8.250.958,89, segue-se na direção sudoeste, em linha reta, até o ponto de coordenadas UTM E= 201.454,22 e N=8.250.499,76; daí; segue-se na direção sudoeste, em linha reta, até a margem da rodovia DF-001/EPCT, no ponto de coordenadas UTM E= 200.852,72 e N=8.249.310,52; daí, segue pela rodovia DF-001/EPCT na direção sudoeste, inclusive, a rodovia e seus acessos, até o ponto de coordenadas UTM E=198.875,46 e N=8.246.262,66; daí, segue na direção sudeste, cruzando o Condomínio Solar de Brasília pelo limite entre os conjuntos 16 e 18 de sua Quadra 03, até a nascente do ribeirão Taboca, no ponto de coordenadas UTM 199.194,70 e N=8.246.038,50; daí, ribeirão abaixo, inclusive o espelho d´água, até a confluência com rio São Bartolomeu; daí, rio abaixo, inclusive o espelho d´água, até a ponte na rodovia BR-251; daí, à esquerda, segue pela rodovia BR-251, exclusive, até o entroncamento da rodovia DF-130, exclusive; daí, à esquerda segue pela rodovia DF-130, exclusive, até o entroncamento da rodovia DF-270, exclusive; daí, segue pela rodovia DF-270, exclusive, até seu entroncamento na rodovia DF-100; exclusive; daí, à direita, segue pela rodovia DF-100, exclusive, até a ponte sobre o rio Jardim; daí, rio abaixo, exclusive o espelho d´água, até a confluência com o rio Preto; daí, segue rio Preto acima, considerando a metade do espelho d´água, até a confluência com o ribeirão Extrema; daí , ribeirão acima, exclusive o espelho d’água, até a ponte na rodovia DF-100, exclusive a ponte; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-100, exclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-260, exclusive o entroncamento e suas ligações; daí, à direita, segue pela rodovia DF-260, exclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-130, exclusive este e suas ligações; daí, à direita, segue pela rodovia DF-130, exclusive, até o cruzamento com a rodovia BR-479/DF-250; exclusive este e suas ligações; daí; à esquerda, segue pela rodovia BR-479/DF-250, inclusive, até a ponte sobre o rio São Bartolomeu; inclusive a ponte, daí, rio acima, inclusive o espelho d´água, até a confluência com o ribeirão Sobradinho; daí, ribeirão acima, exclusive o espelho d´água, até atingir a rodovia DF-440; daí, à esquerda, pela rodovia, exclusive, até o entroncamento da rodovia VC-263; daí, à esquerda, pela rodovia VC-263, exclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-001/EPCT, exclusive o entroncamento; daí, segue na direção sudoeste até a nascente do córrego Taquari, no ponto de coordenadas UTM E=200.850,95 e N=8.259.040,32; daí córrego abaixo, exclusive o espelho d´água, até sua confluência com o córrego Capoeira do Bálsamo, que passa a se chamar córrego Tamanduá; daí, córrego Tamanduá abaixo, exclusive o espelho d´água, até o ponto de lançamento de suas águas no lago Paranoá; daí, segue pelo lago Paranoá na direção sul e sudeste, considerando a metade do espelho d´água, até atingir a extremidade sul da barragem do Paranoá, ponto inicial da presente descrição.

AISP PLANALTINA

RISP LESTE - AISP PLANALTINA

Partindo da ponte da rodovia BR-020 sobre o ribeirão Santa Rita, no limite leste do Distrito Federal com o Estado de Goiás, segue ribeirão abaixo, considerando a metade do espelho d´água, até a sua confluência com o rio Preto, daí, segue rio abaixo, considerando-se a metade do espelho d’água, até a confluência com o ribeirão Extrema; daí, ribeirão acima, inclusive o espelho d’água, até a ponte na rodovia DF-100, inclusive a ponte; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-100, inclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-260, inclusive o entroncamento e suas ligações; daí, à direita, segue pela rodovia DF-260, inclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-130, inclusive este e suas ligações; daí, à direita, segue pela rodovia DF-130, inclusive até o cruzamento com a rodovia BR-479/DF-250; inclusive este e suas ligações; daí; à esquerda, segue pela rodovia BR-479/DF-250, exclusive. até a ponte sobre o rio São Bartolomeu, exclusive esta; daí, segue rio acima, exclusive o espelho d’água, até a confluência do córrego do Meio; daí, córrego acima, exclusive o espelho d’água, até a sua nascente; daí, na direção nordeste, até o ponto de coordenadas UTM E=206.249,71 e N=8.265157,82, situado na margem da rodovia DF-330; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-330, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM e=205808,18 E n=8.265.510,61; daí, à direita, segue na direção nordeste até o ponto de coordenadas UTM E=206.489,65 e N=8.266269,12; daí, à esquerda, segue na direção noroeste até o ponto de coordenadas UTM E=204.906,04 e N=8.268939,51, situado na margem sul da rodovia BR-020; daí, na direção nordeste, cruzando a rodovia BR-020 até sua margem norte onde inicia uma estrada rural; da´, na direção noroeste, segue a estrada, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E= 202.488,38 e N=8.272.475,46, situado nas proximidades da portaria do loteamento rural “Estâncias Vila Rica”; daí, segue na direção noroeste até a nascente do córrego Chapadinha, no ponto de coordenadas UTM E=202.439,51 e N=8.273.350,87; daí, na direção nordeste até a nascente do córrego Taquari, no ponto de coordenadas UTM E=203.071,38 em=8.274.686,95; daí, córrego abaixo, exclusive o espelho d´água, até a confluência com o córrego Grotão; daí, córrego Grotão abaixo, exclusive o espelho d´água, até a confluência com o córrego João Pires; daí, córrego João Pires abaixo, até a confluência com o ribeirão Palmeiras; daí, ribeirão abaixo, exclusive o espelho d´água, até a confluência com o rio Maranhão; daí, rio abaixo, exclusive o espelho d´água, até o ponto de coordenadas UTM E=202.537,62 e N=8.284.358,62; daí; na direção norte até o ponto de coordenadas UTM E=202.538,15 e N=8.284.389,41, situado no paralelo 15º30’00”S, limite norte do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, seguindo por este limite, em direção leste, até o meridiano 47º25’00”WGr, limite leste do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, à direita, segue por este limite, em direção sul, até encontrar o ribeirão Santa Rita; daí, à esquerda, ribeirão abaixo, considerando-se a metade do espelho d´água, até a ponte na rodovia BR-020, ponto inicial da presente descrição.

AISP SÃO SEBASTIÃO E JARDIM BOTÂNICO

RISP LESTE - AISP SEBASTIÃO E JARDIM BOTÂNICO (todos os condomínios a leste da DF 140 e ao sul do ribeirão Taboca, sendo o Condomínio Solar de Brasília Quadra 03 até o conjunto 16)

Partindo do entroncamento da rodovia DF-140 na rodovia DF-001/EPCT, segue na direção nordeste pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive o entroncamento, a rodovia e seus acessos, até o ponto de coordenadas UTM E=198.875,46 e N=8.246.262,66; daí, segue na direção sudeste, cruzando o Condomínio Solar de Brasília pelo limite entre os conjuntos 16 e 18 de sua quadra 03, até a nascente do ribeirão Taboca, no ponto de coordenadas UTM 199.194,70 e N=8.246.038,50; daí, ribeirão abaixo, exclusive o espelho d´água, até a confluência com rio São Bartolomeu; daí, rio abaixo, exclusive o espelho d´água, até a ponte na rodovia BR-251; daí, À esquerda, segue pela rodovia BR-251, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-130, inclusive; daí, à esquerda segue pela rodovia DF-130, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-270, inclusive; daí, segue pela rodovia DF-270, inclusive, até seu entroncamento na rodovia DF-100; inclusive; daí, à direita, segue pela rodovia DF-100, inclusive, até a ponte sobre o rio Jardim; daí, rio abaixo, inclusive o espelho d´água, até a confluência com o rio Preto; daí, segue rio Preto abaixo, considerando a metade do espelho d´água do rio e do lago de sua barragem, até o limite do Distrito Federal com o Estado de Minas Gerais, no paralelo 16º03’00” S; daí, à direita, segue na direção oeste pelo dito paralelo, até a rodovia DF-140; daí, à direta, segue pela rodovia DF-140, inclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-001/EPCT, ponto inicial desta descrição.

AISP SOBRADINHO, SOBRADINHO II e FERCAL

RISP LESTE - AISP SOBRADINHO, SOBRADINHO II e FERCAL.

Partindo da interseção da rodovia DF-170, com a linha de limite norte do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo 15°30’00”Sul (km 0 da DF-170), segue-se na direção leste, pelo citado paralelo, até o ponto de coordenadas UTM E=202.538,15 e N=8.284.389,41, situado no paralelo 15º30’00”S; daí na direção sul até a margem do rio Maranhão no ponto de coordenadas UTM E=202.537,62 e N=8.284.358,62; daí, rio Maranhão acima, inclusive o espelho d’água, até a confluência do ribeirão Palmeiras, daí, ribeirão acima, inclusive o espelho d’água, até a confluência do córrego João Pires; daí, córrego acima, inclusive o espelho d’água, até a conflu- ência do córrego Grotão; daí córrego Grotão acima, inclusive o espelho d’água, até a confluência do córrego Taquari; daí, córrego Taquari acima, inclusive o espelho d’água, até a sua nascente mais alta; no ponto de coordenadas UTM E=203.071,38 e N=8.274.686,95; daí, na direção sudoeste até a nascente do córrego Chapadinha, no ponto de coordenadas UTM E=202.439,51 e N=8.273.350,87, daí; segue na direção sudeste até o ponto de coordenadas UTM E=202.488,38 e N=8.272.475,46, situado na margem de uma estrada rural e nas proximidades da portaria do loteamento rural “Estâncias Vila Rica”; daí, à esquerda, segue pela estrada rural, inclusive, até atingir a margem norte da rodovia BR-020; daí, cruza a rodovia BR-020 até chegar ao ponto de coordenadas UTM E=204.908,04 e N=8.268.939,51, situado na margem sul da citada rodovia; daí, na direção sudeste, até o ponto de coordenadas UTM E=206.489,65 e N=8.266.269,12; daí, segue na direção sudoeste até o ponto de coordenadas UTM E=205.808,18 e N=8.265.510,61, na margem da rodovia DF-330; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-330, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=206.249,71 e N=8.265.157,82, situado na margem da citada rodovia; daí, à direita, na direção sudoeste , até a nascente do córrego do Meio; daí, córrego abaixo, inclusive o espelho d’água, até a sua confluência com o rio São Bartolomeu; daí, rio abaixo, inclusive o espelho d’água, até a confluência com o ribeirão Sobradinho; daí, ribeirão acima, inclusive o espelho d’água, até atingir a rodovia DF-440; daí, à esquerda, pela rodovia, inclusive, até o entroncamento da rodovia VC-263; daí, à esquerda, pela rodovia VC-263, inclusive, até o entroncamento com a rodovia DF-001/EPCT, inclusive o entroncamento; daí, à direita, pela rodovia, inclusive a rodovia, até a intercessão com as rodovias BR-020 e DF-003/EPCT (Balão do Colorado), inclusive esta e suas ligações; daí, continua pela DF-001/EPCT, inclusive, até a pista de acesso ao condomínio rural Mansões Colorado; dai, à esquerda, por linha perpendicular à rodovia DF-001, até o ponto de coordenadas UTM E=192.817,18 e N=8.263.976,68, situado na cerca limítrofe do Parque Nacional de Brasília (PNB); daí, à direita, seguindo pela cerca do PNB, até o ponto de coordenadas UTM E=176.657,85 e N=8.274.685,58; daí, à direita, segue na direção nordeste, até o entroncamento da DF-170 na DF-001/EPCT; daí, segue pela DF-170, exclusive, na direção norte, até o paralelo 15º30’00”S, limite norte do Distrito Federal, ponto inicial desta descrição.

AISP ÁGUAS CLARAS, VICENTE PIRES E PARK WAY

RISP OESTE - AISP ÁGUAS CLARAS, VICENTE PIRES E PARK WAY (Quadras 4 e 5)

Partindo do viaduto entre a rodovia DF-095/EPCL e a rodovia DF-087/EPVL; exclusive o viaduto e suas ligações; segue pela rodovia DF-087/EPVL, inclusive, até atingir o viaduto com a rodovia DF-085/EPTG, inclusive; daí; à direita, pela rodovia DF-085/EPTG, inclusive, até a ponte sobre o córrego Vicente Pires; daí, córrego abaixo, inclusive espelho d´agua, até encontrar a linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântico S.A. (FCA); daí à esquerda, pela linha férrea, exclusive, até atingir o ponto de coordenadas UTM E=180.708,63 e N=8.244.120,52; daí, segue na direção sudoeste em linha reta até o ponto de coordenadas UTM E=180.472,52 e N=8.243.838,97; daí, segue na direção sudoeste em linha reta e acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 06 da quadra 03 do Setor de Mansões Park Way (SMPW) até atingir o ponto de coordenadas UTM E= 179.549,14 e N=8.243.573,67, situado no canto posterior do lote 01 do referido conjunto; daí; à esquerda, segue na direção sudeste até ponto de coordenadas UTM E=179.611,50 e N=8.243.358,10 onde encontra a rodovia DF-079/EPVP; daí, à direita, acompanhando a rodovia DF-079/EPVP, exclusive, segue até o ponto de coordenadas UTM E=179.578,79 e N=8.243.329,19; daí, segue na direção sudoeste até o ponto de coordenadas UTM E=179.347,69 e N=8.243.262,84, situado no canto posterior do lote 08 do conjunto 02 da quadra 03 do SMPW; daí , à esquerda, segue na direção sudeste, acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 02 da quadra 03 do SMPW e a pista de acesso aos conjuntos 01 e 02 da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE), inclusive, até a rodovia DF-075/EPNB; daí; à direita segue pela rodovia DF-075/EPNB, exclusive, até o viaduto de acesso do Pistão Sul, exclusive, onde encontra a rodovia DF-001/ EPCT; daí, à direita, segue pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive a rodovia e os viadutos com a rodovia DF-085/EPTG e com as rodovias DF-095/EPCL e BR-060, até o entroncamento da rodovia DF-097/EPC; daí, à direita, segue pela rodovia DF-097/EPAC, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=177.994,59 e N=8.255.893,78; daí, segue na direção sul até atingir a nascente do córrego do Valo; daí, córrego abaixo, exclusive o espelho d´água, até atingir a ponte sobre esse córrego na DF-095/EPCL, exclusive essa; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF- 095/EPCL, exclusive, até o viaduto com a rodovia DF-087/EPVL, ponto inicial desta descrição.

AISP BRAZLANDIA

RISP OESTE – AISP BRAZLANDIA

Partindo da interseção da rodovia DF-170, com a linha de limite norte do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo 15°30’00”S (km 0 da DF-170), segue por referida rodovia, inclusive, em direção sul, até o entroncamento com a rodovia DF-001/EPCT; daí, segue na direção sudeste até o ponto de coordenadas UTM E=176.657,85 e N=8.274.685,58, situado na cerca limítrofe do Parque Nacional de Brasília (PNB); daí, à direita, segue pela cerca do PNB até o ponto de coordenadas UTM E=170.394,04 e N=8.257.957,57; daí, segue na direção sudeste até atingir a nascente norte do ribeirão das Pedras; daí; ribeirão abaixo, exclusive o espelho d´água, até o ponto de lançamento de suas águas na represa do rio Descoberto ; daí, tomando como base, o meio do espelho d’água, segue por este, até o meio do espelho formado pelos braços norte e sul da represa; daí, em direção norte, segue pelo meio do espelho d’água do braço norte, até o ponto de lançamento das águas do rio Descoberto na mesma represa; daí, rio acima, considerando-se a metade do espelho d’água, até a interseção com a linha de limite oeste do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no meridiano de 48°12’00’’ WGr; daí, segue em direção norte, por este limite, até a interseção com a linha de limite norte do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo l5°30’00” Sul; daí, segue em direção leste, pelo citado paralelo, até a interseção da rodovia DF-170, ponto inicial desta descrição.

AISP CEILÂNDIA

RISP OESTE - AISP CEILÂNDIA

Partindo do ponto de coordenadas UTM E=169.207,69 e N=8.246.820,37, situado na margem da via de ligação Centro-Norte/DF-085/EPTG, segue na direção sudoeste pela via, exclusive, até o entroncamento da via M-1; daí; na direção sudeste até o ponto de coordenadas UTM E=168.770,25 e N=8.246.135,82; daí, na direção sudoeste, até o ponto de coordenadas UTM E= 168.566,25 e N=8.246.063,82; daí, na direção sudeste, até o ponto de coordenadas UTM E=168.583,25 e N=8.246.014,82; daí, na direção sudoeste, até o ponto de coordenadas UTM E=168.416,15 e N=8.245.962,32; daí, na direção sudeste, até encontrar o ribeirão Taguatinga, no ponto de coordenadas UTM E=169.009,47 e N=8.244.924,28; daí, ribeirão abaixo, exclusive o espelho d´água, até a confluência com o rio Melchior; daí, rio abaixo, exclusive o espelho d´águam, até a confluência com o rio Descoberto, limite oeste do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, rio acima, considerando a metade do espelho d´água do rio, até a rodovia BR-070; daí, cruzando-a segue até a barragem do rio Descoberto, considerando ainda a metade do espelho d´agua de seu lago, até o lançamento das águas do ribeirão das Pedras no lago da barragem; daí, ribeirão acima, inclusive o espelho d´água, até a confluência com o córrego Currais; daí, segue na direção sudeste, até o entroncamento da via MN-3 na BR-070; daí, à direita, segue pela via MN- 3, inclusive, até seu entroncamento na via NM-3; daí, à direita, segue pela via NM-3, inclusive, até o entroncamento da via M3; daí, à esquerda, pela via M3, inclusive, segue margeando as QNM-32, 30, 28 e Área Especial nº 2, inclusive estas, até encontrar a via MN-1 - avenida Hélio Prates da Silveira, cruzando-a; daí, segue pela via LN 31, exclusive, margeando as quadras Área Especial nº 1, QNM-27, 29, 31 e 33, inclusive estas, até alcançar a margem da via de ligação Centro-Norte/DF-085/EPTG, no ponto de coordenadas UTM E=169.207,69 e N=8.246.820,37; início da presente descrição.

AISP SAMAMBAIA

RISP OESTE - AISP SAMAMBAIA

Partindo da confluência do rio Melchior com o rio Descoberto, no limite do Distrito Federal com o Estado de Goiás, segue rio Melchior acima, inclusive o espelho d’água, até a confluência do córrego do Valo; ponto em que o curso d´água passa a ser denominado ribeirão Taguatinga; daí, ribeirão acima, inclusive o espelho d’água, até a ponte sobre o referido ribeirão, na via de acesso do Setor QNL à Samambaia; daí, à direita, segue pela via, denominada Via Leste, inclusive esta e seus balões, até atingir o início da quadra QI 616; daí, à esquerda, segue pela pista que margeia a quadra, inclusive a pista, até o ponto de coordenadas UTM E=170.856,90 e N=8.245.565,52; daí, na direção sudeste segue margeando o Setor QSC 19/Chácara 28B, exclusive, até a via de ligação do Setor de Mansões Leste; daí, à direita, pela citada via, inclusive, até o limite nordeste da quadra QI 416, daí, à esquerda, pelo limite da quadra QI 416, inclusive, até atingir a Avenida Leste; daí, à esquerda, segue pela Avenida Leste, inclusive a via e seus acessos, até o balão de cruzamento com a 1ª Avenida Sul; daí, à esquerda segue pela 1ª Avenida Sul, inclusive a via, o balão e seus acessos, até a rodovia DF-001/EPCT; daí, à direita, segue pela rodovia DF-001/ EPCT, inclusive, até o viaduto onde inicia a rodovia BR-060, inclusive este e suas ligações; daí segue pela rodovia BR-060, inclusive a rodovia, seus viadutos e acessos, até o viaduto no entroncamento da rodovia DF-280; daí, à direita, pela rodovia DF-280, exclusive, até a passagem sobre o córrego Bananal; daí, córrego abaixo, exclusive espelho d´água, até sua desembocadura no córrego Samambaia; daí, córrego abaixo, exclusive espelho d´água, até sua passagem sob a rodovia DF-280; daí, à direita, pela rodovia DF-280, exclusive a rodovia e seus acessos, até a ponte sobre o rio Descoberto, limite oeste do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, rio acima, considerando a metade do espelho d´água do rio, até a confluência do rio Melchior, ponto inicial desta descrição.

AISP TAGUATINGA

RISP OESTE - AISP TAGUATINGA

Partindo da confluência do córrego Currais no ribeirão das Pedras, segue-se em linha reta, na direção sudeste, até o entroncamento da via MN-3 na BR-070; daí, à direita, segue pela via MN- 3, exclusive, até seu entroncamento na via NM-3; daí, à direita, segue pela via NM-3, exclusive, até o entroncamento da via M3; daí, à esquerda, pela via M3, exclusive, segue margeando as QNM-32, 30, 28 e Área Especial nº 2, exclusive estas, até encontrar a via MN-1 - avenida Hé- lio Prates da Silveira, cruzando-a; daí, segue pela via LN 31, inclusive, margeando as quadras 14, 16, 18, 20, 22, 24, 26, 28 e 30 do setor QNL, inclusive estas, até alcançar a margem da via de ligação Centro-Norte/DF-085/EPTG/, no ponto de coordenadas UTM E=169.207,69 e N=8.246.820,37; daí, segue na direção sudoeste pela via, inclusive, até o entroncamento da via M-1; daí; na direção sudeste até o ponto de coordenadas UTM E=168.770,25 e N=8.246.135,82; daí, na direção sudoeste, até o ponto de coordenadas UTM E= 168.566,25 e N=8.246.063,82; daí, na direção sudeste, até o ponto de coordenadas UTM E=168.583,25 e N=8.246.014,82; daí, na direção sudoeste, até o ponto de coordenadas UTM E=168.416,15 e N=8.245.962,32; daí, na direção sudeste, até encontrar o ribeirão Taguatinga, no ponto de coordenadas UTM E=169.009,47 e N=8.244.924,28; daí, ribeirão acima, exclusive o espelho d’água, até a ponte sobre o referido ribeirão, na via de acesso do Setor QNL à Samambaia; daí, à direita, segue pela via, denominada Via Leste, exclusive esta e seus balões, até atingir o início da quadra QI 616 de Samambaia; daí, à esquerda, segue pela pista que margeia a quadra, exclusive a pista, até o ponto de coordenadas UTM E=170.856,90 e N=8.245.565,52; daí, na direção sudeste segue margeando o Setor QSC 19/Chácara 28B, inclusive, até a via de ligação do Setor de Mansões Leste; daí, à direita, pela citada via, exclusive, até o limite nordeste da quadra QI 416 de Samambaia, daí, à esquerda, pelo limite da quadra QI 416, exclusive, até atingir a Avenida Leste; daí, à esquerda, segue pela Avenida Leste, exclusive a via e seus acessos, até o balão de cruzamento com a 1ª Avenida Sul; daí, à esquerda segue pela 1ª Avenida Sul, exclusive a via, o balão e seus acessos, até a rodovia DF-001/EPCT; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até o viaduto de acesso ao Pistão Sul, onde encontra a rodovia DF-075/EPNB, exclusive o viaduto e suas ligações; daí: à esquerda, segue pela DF-001/EPCT, inclusive a rodovia e os viadutos com a rodovia DF-085/EPTG e com as rodovias DF-095/EPCL e BR-060, até o entroncamento da rodovia BR-080/DF-240, no ponto de coordenadas UTM E=170.434,07 e N=8.257.903,02; daí, segue na direção sudeste até atingir a nascente norte do ribeirão das Pedras; daí; ribeirão abaixo, inclusive o espelho d´água, até a confluência com o córrego Currais, ponto inicial da presente descrição.

AISP - GAMA

RISP SUL – AISP GAMA

Partindo do entroncamento da rodovia DF-475 na rodovia DF-001/EPCT, segue pela rodovia DF-475, inclusive o entroncamento e a rodovia, até o entroncamento da estrada vicinal VC-341; daí; à direita, segue pela VC-341, inclusive o entroncamento e a estrada, até o ponto de coordenadas UTM E=172.166,88 e N=8.234.415,48, onde inicia uma estrada rural; daí, na direção noroeste, segue pela estrada rural, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=170.480,36 em=8.235.401,84; daí, segue na direção norte até o ponto de coordenadas UTM E=170.469,64 e N=8.236.395,70, situado na margem do córrego Monjolo; daí, córrego abaixo, exclusive o espelho d´água, até sua confluência com o rio Ponte Alta; daí, segue rio acima, inclusive o espelho d´água, até a confluência com o córrego Capoeira Grande, daí, córrego Capoeira Grande acima, inclusive o espelho d´água, até sua nascente; no ponto de coordenadas UTM E=162.430,97 e N=8.234.391,08; daí, segue em linha reta na direção oeste até o ponto de coordenadas UTM E=161.303,59 e N=8.234.363,82, situando na margem do córrego Buriti; daí, segue em linha reta na direção oeste, acompanhando o limite norte do condomínio Asa Branca, até o ponto de coordenadas UTM E=160.284,88 e N=8.234.422,45, situado na margem oeste da rodovia BR- 060; daí, à esquerda, segue pela rodovia, inclusive, até o entroncamento de uma estrada rural, no ponto de coordenadas UTM E=160.265,30 e N=8.234.347,41; daí, à direita, segue pela estrada rural, inclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=158.769,51 e N=8.234.462,63; daí, segue na direção sul até a nascente do córrego Tição; daí, segue córrego abaixo, exclusive o espelho d’água, até a sua confluência com o Rio Descoberto; daí, rio abaixo, considerando-se a metade do espelho d’água, até o cruzamento com o paralelo 16º03’00”S, limite sul do Distrito Federal com o Estado de Goiás; daí, segue na direção leste pelo citado paralelo até encontrar o rio Alagado, no ponto de coordenadas UTM E=172.144,13 e N=8.223.051,07; daí, rio acima, inclusive espelho d´água, até a confluência com o córrego Crispim, ponto em que o curso d´água passa a ser denominado ribeirão Alagado; daí, ribeirão acima, inclusive espelho d´água, até a sua nascente, no ponto de coordenadas UTM E=178.122,21 e N=8.230.269,88; daí, segue na direção nordeste até o ponto de coordenadas UTM E=178.385,35 e N=8.231.217,77, situado na margem norte da rodovia DF-001/EPCT; daí, `a esquerda, segue pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até o viaduto com as rodovias DF-065/EPIP e DF-480, inclusive o viaduto e suas ligações; daí, continua ela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-475, ponto, inicial desta descrição.

AISP NÚCLEO BANDEIRANTE, CANDANGOLANDIA E PARK WAY

RISP SUL – AISP NÚCLEO BANDEIRANTE, CANDANGOLÂNDIA E PARK WAY (Quadras 1,3, 6-29 e EQ 1/4)

Partindo da ponte sobre o riacho Fundo, na rodovia DF-047/EPAR, segue na direção sudoeste, exclusive a ponte e a rodovia, exclusive, na direção sudoeste, até o cruzamento com a rodovia DF-025/EPDB (balão do Aeroporto), exclusive; daí, à direita, segue pela rodovia DF-025/ EPDB, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=184.968,80 e N=8.243.788,77; daí, segue à esquerda, na direção sudeste, acompanhando uma pista asfaltada, exclusive, e depois acompanhando o limite do conjunto 01 da Quadra 14 do Setor de Mansões Park Way (SMPW), até atingir o ponto de coordenadas UTM E=185.283,29 e N=8.243.128,88 situado na cerca limite da área do Aeroporto de Brasília; daí, segue à direita, acompanhando acerca do Aeroporto de Brasília, exclusive, e contornando o limite posterior da Quadra 14 do SMPW até atingir o córrego do Cedro, no ponto de coordenadas UTM E=185.162,91 e N=8.240.403,12; daí, segue córrego abaixo, inclusive o espelho d’água, até sua confluência com o ribeirão do Gama; daí, segue ribeirão acima, inclusive o espelho d’água, até a ponte da linha férrea da Ferrovia Centro- -Atlântico S.A. (FCA), daí, segue à esquerda por esta linha férrea, inclusive, até o viaduto da rodovia DF-001/EPCT; exclusive; daí, à direita, segue pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive, até o viaduto com as rodovias DF-480 e DF-065-EPIP; exclusive o viaduto e suas ligações; daí, à direita, segue pela rodovia DF-065/EPIP, exclusive. até o ponto de coordenadas UTM E=178.854,64 e N=8.234.613,60; daí, na direção noroeste até a nascente do córrego Coqueiros, no ponto de coordenadas UTM E=178.641,93 e N=8.234.775,18; daí, córrego abaixo, exclusive o espelho d´água, até sua confluência com o riacho Fundo; daí, riacho abaixo, exclusive o espelho d´água, até a ponte da via férrea da Ferrovia Centro-Atlântico S.A (FCA); daí, à esquerda, segue pela via férrea, exclusive, até o viaduto da rodovia DF-075/EPNB, exclusive; daí, à esquerda, segue pela rodovia DF-075/EPNB, exclusive, até a pista de acesso aos conjuntos 01 e 02 da Área de Desenvolvimento Econômico (ADE); daí, à direita, segue, pela pista, exclusive, acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 02 da Quadra 03 do SMPW, até atingir o ponto de coordenadas UTM E=179.347,69 e N=8.243.262,84, situado no canto posterior do lote 08 do conjunto 02 da quadra 03 do SMPW; daí, pela direita, no sentido nordeste até o ponto de coordenadas UTM E= 179.578,79 e N=8.243.329,19, onde encontra a rodovia DF-079/ EPVP; daí, segue à esquerda, acompanhando a rodovia DF-079/EPVP, inclusive, até o ponto de coordenadas E=179.611,50 e N=8.243.358,10; daí, segue à esquerda, na direção noroeste até o ponto de coordenadas UTM E=179.549,14 e N=8.243.573,67, situado no canto posterior do lote 01 do conjunto 06 da quadra 03 do SMPW; daí, à direita, na direção nordeste, acompanhando o limite posterior dos lotes do conjunto 06 da quadra 03 do SMPW, até o ponto de coordenadas UTM E= 180.472,52 e N=8.243.838,97, daí, segue `na direção nordeste até encontrar linha férrea da Ferrovia Centro-Atlântico S.A.(FCA), no ponto de coordenadas UTM E=180.708,63 e N=8.244.120,52; daí, segue à esquerda, pela linha férrea, inclusive, até encontrar o córrego Vicente Pires; daí, córrego Vicente Pires abaixo, inclusive o espelho d’água, até a rodovia DF- 075/EPNB; daí, à esquerda pela rodovia DF-075/EPNB, inclusive, segue acompanhando a alça de ligação da rodovia DF-003/EPIA, inclusive, até o Setor de Posto e Motéis Sul (SPMS);daí segue à esquerda, contornando o limite posterior do SPMS até a pista de acesso ao viaduto da Candangolândia; daí pela pista, inclusive, até encontrar a rodovia DF-003/EPIA; daí; segue por referida rodovia, inclusive, até o viaduto do cruzamento desta com a rodovia DF-051/EPGU, exclusive o viaduto e suas ligações; daí; segue pela rodovia DF-051/EPGU, inclusive, até o viaduto desta com o cruzamento da rodovia DF-047/EPAR, exclusive o viaduto e suas ligações; daí, pela rodovia DF-047/EPAR, exclusive, segue até a ponte sobre o riacho Fundo, ponto inicial desta descrição.

AISP - RECANTO DAS EMAS

RISP SUL – AISP RECANTO DAS EMAS

Partindo do entroncamento da rodovia DF-475 na rodovia DF-001/EPCT, segue pela rodovia DF-475, exclusive o entroncamento e a rodovia, até o entroncamento da estrada vicinal VC-341; daí; à direita, segue pela VC-341, exclusive o entroncamento e a estrada, até o ponto de coordenadas UTM E=172.166,88 e N=8.234.415,48, onde inicia uma estrada rural; daí, na direção noroeste, segue pela estrada rural, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=170.480,36 em=8.235.401,84; daí, segue na direção norte até o ponto de coordenadas UTM E=170.469,64 e N=8.236.395,70, situado na margem do córrego Monjolo; daí, córrego abaixo, inclusive o espelho d´água, até sua confluência com o rio Ponte Alta; daí, segue rio acima, exclusive o espelho d´água até a confluência com o córrego Capoeira Grande, daí, córrego Capoeira Grande acima, exclusive o espelho d´água, até sua nascente; no ponto de coordenadas UTM E=162.430,97 e N=8.234.391,08; daí, segue em linha reta na direção oeste até o ponto de coordenadas UTM E=161.303,59 e N=8.234.363,82, situando na margem do córrego Buriti; daí, segue em linha reta na direção oeste, acompanhando o limite norte do condomínio “Asa Branca”, até o ponto de coordenadas UTM E=160.284,88 e N=8.234.422,45, situado na margem oeste da rodovia BR- 060; daí, à esquerda, segue pela rodovia, exclusive, até o entroncamento de uma estrada rural, no ponto de coordenadas UTM E=160.265,30 e N=8.234.347,41; daí, à direita, segue pela estrada rural, exclusive, até o ponto de coordenadas UTM E=158.769,51 e N=8.234.462,63; daí, segue na direção sul até a nascente do córrego Tição; daí, segue córrego abaixo, inclusive o espelho d’água, até a sua confluência com o Rio Descoberto; daí, rio acima, considerando-se a metade do espelho d’água, até a ponte onde inicia a rodovia DF-280; daí, à direita, pela rodovia DF-280, inclusive a rodovia e seus acessos, até o córrego Samambaia, daí, córrego acima, inclusive espelho d´água, até a desembocadura do córrego Bananal; daí, córrego Bananal acima, inclusive espelho d´água, até cruzar com a rodovia DF-280; daí, à esquerda, pela rodovia DF-280, exclusive, até o viaduto na rodovia BR-060; daí à esquerda, pela rodovia BR-060, exclusive a rodovia, seus viadutos e acessos, até o viaduto com a DF-001/EPCT; exclusive; daí, à direita, segue pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-475, ponto inicial desta descrição.

AISP RIACHO FUNDO I E II

RISP SUL – AISP RIACHO FUNDO I E II

Partindo do viaduto entre as rodovias BR-060 e DF-001/EPCT, segue na direção nordeste pela rodovia DF-001/EPCT, exclusive a rodovia, o viaduto e seus acessos, até o acesso da 1ª Avenida Sul de Samambaia; daí, pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até o viaduto de acesso ao Pistão Sul, onde encontra a rodovia DF-075/EPNB; daí, pela rodovia DF-075/EPNB, inclusive, até o viaduto sobre a via férrea da Ferrovia Centro-Atlântico S.A (FCA), inclusive o viaduto; daí, à direita, segue por referida via férrea, inclusive, até a ponte sobre o riacho Fundo; daí, riacho Fundo acima, inclusive espelho d’água, até a sua confluência com o córrego Coqueiros; daí, córrego Coqueiros acima, inclusive o espelho d’água, até a sua nascente; no ponto de coordenadas UTM E=178.641,93 e N=8.234.775,18; daí, segue na direção sudeste, até o ponto de coordenadas UTM E=178.854,64 e N=8.234.613,60, situado na margem da rodovia DF-065/ EPIP; daí, à direita, segue por esta rodovia, exclusive, até o viaduto com as rodovias DF-480 e DF-001/EPCT; exclusive o viaduto e suas ligações; daí, à direita, segue pela rodovia DF-001/ EPCT, exclusive a rodovia, até o ponto inicial desta descrição.

AISP - SANTA MARIA E JARDIM BOTÂNICO

RISP SUL – AISP SANTA MARIA, JARDIM BOTÂNICO (todos os Condomínios a oeste da DF 140)

Partindo do entroncamento da DF-140 na DF-001/EPCT segue-se na direção sul pela rodovia DF-140, exclusive, até o balão com a rodovia BR-251; daí, excluindo o balão e suas ligações, prossegue pela rodovia DF-140, exclusive, até o limite sul do Distrito Federal com o Estado de Goiás, no paralelo 16º03’00”S; daí, à direita na direção oeste, pelo paralelo, até encontrar o rio Alagado, no ponto de coordenadas UTM E=172.144,13 e N=8.223.051,07; daí, rio acima, exclusive o espelho d´água, até a confluência com o córrego Crispim, ponto em que o curso d´água passa a ser denominado ribeirão Alagado; daí, ribeirão acima, exclusive o espelho d´água, até a sua nascente, no ponto de coordenadas UTM E=178.122,21 e N=8.230.269,88; daí, segue na direção nordeste até o ponto de coordenadas UTM E=178.385,35 e N=8.231.217,77, situado na margem norte da rodovia DF-001/EPCT; daí, à direita, segue pela rodovia DF-001/EPCT, inclusive, até o entroncamento da rodovia DF-140, ponto inicial desta descrição.

Este texto não substitui o publicado no DODF nº 140 de 22/07/2015